segunda-feira, 29 de agosto de 2016

O Nike+ Running agora é Nike+ Run Club

Quem me acompanha no Instagram (@daniela_menezes) sabe que eu uso bastante o aplicativo da Nike para registrar meus treinos e corridas. Gosto de ter meus treinos salvos no aplicativo, pois além de poder compartilhar nas redes sociais, consigo manter registro das distâncias, pace, locais de treino, elevação e acompanhar a evolução das pessoas que também utilizam o app.

Recentemente o Nike+ Running sofreu uma grande atualização e virou o Nike+ Run Club. A primeira versão que saiu dele, 5.0, veio com alguns probleminhas, faltando meus dados de peso, altura, entre outros dados pessoais não estavam sendo mostrados corretamente, a lista de amigos corredores com seus registros também apresentou falhas e nem conseguia colocar uma foto no meu perfil. Mas ele veio com algumas funcionalidades novas além do visual totalmente remodelado: 

  • Planos de treinos adaptados a agenda do usuário e ao seu progresso;
  • Personalização das fotos para compartilhar após o treino;
  • Ranking para comparar e competir com os amigos, usando hashtags;
  • Sincronização com o Apple Watch sem necessidade de usar o iPhone.
Dois ou três dias depois a Nike liberou outra atualização, versão 5.0.2, para corrigir os bugs da versão anterior:
  • A opção shoe tags voltou, permitindo ver todo o histórico dos tênis utilizados em corridas anteriores na parte de Atividade do aplicativo;
  • Otimizações de login e de inscrição utilizando uma conta do Nike+ ou do Facebook;
  • Novos planos de treino personalizados e que se adaptam ao progresso do usuário. Para aqueles que estavam no meio de um treino, é possível acessas as recomendações em http://www.nike.com/nrc

A verdade é que mesmo a última atualização do aplicativo ainda está com problemas. Eu tenho utilizado para correr meu relógio Garmin Forerunner 230 e ele se conecta via bluetooth com o aplicativo Garmin Connect, que por sua vez se conecta ao Nike+ Run Club, então ainda não usei o Nike+ durante um treino, mas já ouvi relatos que durante o treino com o aplicativo em execução, ele está apresentando falhas ao informar a distância percorrida e o pace. Vamos aguardar a próxima atualização.

Um abraço, bons treinos a todos e até o próximo post!

terça-feira, 23 de agosto de 2016

Se eu pudesse dar um único conselho a você, seria: não corra

"Se eu pudesse dar um único conselho a você, seria: não corra. Correr é um ato de loucura. Se você começar, vai perceber que: seu corpo vai doer, suas pernas vão cansar, seus pulmões irão sentir a gana por oxigênio, seus pés serão maltratados e as unhas irão cair. Não corra. Se você começar a correr, vai perder as baladas de sábado com os amigos. Vai sair de casa no frio, sua pele vai arrepiar e, ainda assim, não terá vontade de voltar para a cama. Não corra.

Não seja como esses doidos que percorrem ruas, calçadas, parques, e trilhas, respirando ofegantes, com viseiras coloridas, fones nos ouvidos e relógios controladores de tempo e de distância. Correr é um vício perigoso. Você vai falar uma linguagem estranha, seu vocabulário será inundado de palavras como paces, longões, flartec, altimetria, regenerativo, canelite e endorfina. Seus amigos e familiares não entenderão quando você falar que “quebrou naquela prova”, e ficarão apavorados quando você disser que “deu 12 tiros no treino de ontem”.

Quando você menos perceber, seu roupeiro terá mais shorts, calções e camisetas do que roupas de “pessoas comuns”. Corredores são pessoas estranhas, que comem sem medo, bebem sem culpa, que correm dezenas de provas durante um ano, não ganham nenhuma, mas festejam cada uma delas como uma conquista olímpica. Corredores são loucos, confie em mim.

Correr vai te trazer a sensação de você é capaz de ir sempre mais além. Correr vai fazer você conhecer pessoas loucas que começaram a correr e se tornaram viciados, daqueles que falam com desconhecidos no meio de uma corrida. E, veja só: eles ajudam estranhos, incentivam pessoas que nunca virão antes a continuar correndo.

Estes viciados não deixam os outros largarem do vício. Corredores colecionam medalhas, possuem um corpo magro, uma mente saudável, fazem amigos de infância a cada prova que disputam. Corredores são pessoas felizes, e isso (aaah…), isso é um grande perigo para a sociedade. Então, acredite em mim: não corra. Não corra o risco de se tornar um viciado incurável ou uma pessoa que possui a felicidade genuína. Não corra o risco de se tornar alguém melhor a cada dia."

Por Nilson Paula de Lima

segunda-feira, 15 de agosto de 2016

Rio de Janeiro para corredores

Que o Rio de Janeiro é uma das cidades mais bonitas do mundo não é novidade pra ninguém, e correr no Rio é uma experiência incrível. Eu já corri na orla de São Conrado, Leblon, Ipanema, Copacabana e Leme. Corri também no aterro do Flamengo. Mas o Rio ainda tem outros lugares ótimos para a prática da corrida de rua. E como nós estamos em tempos de jogos olímpicos na cidade maravilhosa, nada mais justo do que um post sobre locais para correr no RJ.

Há algum tempo eu não escrevo sobre esse assunto, mas a ideia do post veio numa hora bem oportuna. Eu gostaria de testar todos esses locais antes de falar sobre eles, mas como não moro no Rio de Janeiro, o post vai abordar locais por onde eu já corri e outros locais que conhecidos meus correram. 

Aterro do Flamengo


Além de ser o palco principal das provas de corrida de rua no Rio, o Aterro do Flamengo é uma ótima opção para os iniciantes pois é plano. Do Museu de Arte Moderna ao Monumento Estácio de Sá são 7,6 km. No fim de semana, a via é fechada e vira uma grande área de lazer. Os atletas podem usar a pista de carros também. A chegada da maratona e da meia maratona do Rio é no Aterro, e foi lá que conclui minha 6ª meia maratona ano passado.

Lagoa


Um dos pontos turísticos da cidade, a Lagoa Rodrigo de Freitas é bastante procurada por corredores. A volta completa na lagoa tem 7,5 km e atrai praticantes diariamente. Nos finais de semana, fica bastante cheia, por isso quanto mais cedo chegar melhor, ou no fim da tarde que além do sol já ter dado uma trégua, a pista de pedestres fica mais vazia.

Maracanã


Com cerca de 1,8 km e sem subidas, a pista que fica no entorno do Estádio do Maracanã passou recentemente por uma reforma e tem atraído muitos corredores e adeptos da caminhada diariamente. A dica é evitar os dias de jogos por causa da aglomeração de torcedores ao longo de todo o percurso.

Orla da Zona Sul


Correr do Leme à Avenida Niemeyer e apreciar o visual único das praias de Copacabana, Ipanema e Leblon é um presente aos corredores. O percurso que tem por volta de 8 km fica cheio quase todos os dias, e a vantagem de correr nesse percurso é poder dar um mergulho no mar após o treinamento. Essa orla também faz parte do percurso da maratona e meia do Rio.

Alto da Boa Vista


A partir do Alto da Boa Vista são cinco rotas para os corredores que planejam ficar lado a lado com a natureza e encarar as subidas para um treino mais puxado. Floresta da Tijuca, Paineiras, Cristo Redentor, Corcovado, Vale Encantado, Mesa do Imperador e Vista Chinesa são os pontos principais. As provas de ciclismo de estrada dos jogos olímpicos foram disputadas nesse percurso.

quarta-feira, 10 de agosto de 2016

Dica de leitura - A dieta do corredor

Essa é uma dica que peguei no blog de corrida Correndo de bem com a vida! A Helena, dona do blog, publicou recentemente um post sobre o livro A dieta do corredor, da Suzana Bonumá, e disponibilizou em formato digital. Baixei e comecei a ler como um livro de cabeceira, encarei assim pois entendo que esse não é o tipo de leitura que quando termina a gente fecha o livro e guarda na estante, é mais que isso, entendo que esse é um livro pra ter sempre a mão para consultar e tirar dúvidas.

Hoje são mais de 3 milhões de pessoas que praticam corrida diariamente nos parques, ruas e estradas nesse Brasil afora, seja treinando, competindo ou apenas se exercitando. Mas o que estes atletas comem? Como se alimentar de forma correta para aproveitar ao máximo o treino?

Suzana Bonumá, especialista em nutrição esportiva, reuniu em A dieta do corredor todos os benefícios que uma alimentação bem planejada proporciona a um corredor, seja ele iniciante ou experiente. Com uma abordagem prática e simples, Suzana coloca no papel sua experiência de mais de 10 anos, período em que orientou e acompanhou desde corredores amadores até atletas profissionais.

No livro é abordado o que se deve comer antes, durante e após um treino de acordo com seu objetivo; os erros mais comuns cometidos à mesa; alimentos aliados dos corredores; indicação de cardápios para quem corre de manhã, na hora do almoço ou à noite; como evitar cãibras, enjoos, cansaço, lesões e outros sintomas comuns a nós corredores. 

Durante a leitura, você ainda vai ter informações que te ajudam a definir que tipo de corredor você é (de acordo com seus objetivos) e encontrar dicas específicas para mulheres e também para quem está acima do peso. Para levar a teoria do livro para a prática do nosso dia-a-dia, existe um capítulo especial com receitas fáceis de fazer. 

Uma das minhas partes preferidas do livro diz o seguinte:

"Comer é uma das melhores coisas da vida, você não acha? E assim deve continuar sendo, independente dos seus objetivos. Uma dieta não sobrevive a sacrifícios por muito tempo. Se você tem alguma restrição alimentar, concentre-se naquilo que pode comer e pare de se lamentar por aquilo que deve evitar. Comece a gostar de cuidar de você, aprenda a fazer uma receita rápida e saborosa, descubra opções saudáveis nos restaurantes de que mais gosta, experimente novidades, trace metas, desenvolva uma ferramenta para variar o cardápio e divirta-se com os resultados!"

Outro ponto que achei bem importante ressaltado pela autora é quando ela fala que os corredores costumam ter ossos resistentes, pois os exercícios de impacto, como a corrida, favorecem a formação óssea, desde que a alimentação não seja deficiente em cálcio. Ótima notícia para nós mulheres que somos mais acometidas pela osteoporose dos que os homens.

Gostou da dica? Deixe seu comentário. Bons treinos e até o próximo post!