Curiosidades sobre os Jogos Olímpicos - Parte I

Hoje dou início a uma série de posts sobre curiosidades dos Jogos Olímpicos.

Os primeiros Jogos Olímpicos eram realizados de quatro em quatro anos há mais de 2.700 anos na Grécia Antiga. A competição era uma celebração de tributo aos deuses. O imperador Teodósio I terminou com os Jogos entre os anos de 393 e 394. Todas as referências pagãs da antiguidade deveriam ser interrompidas.

O Barão de Coubertin, tinha o sonho de reviver os Jogos Olímpicos. Em 1894 o Barão de Coubertin organizou um congresso internacional em 23 de Junho de 1894 na Sorbonne em Paris para criar o Comitê Olímpico Internacional (COI). Dois anos depois foram realizados os Jogos Olímpicos em Atenas na Grécia, a pátria dos Jogos Olímpicos da Antiguidade.


Olimpíadas de Berlim - 1936

Pela primeira vez os Jogos foram televisionados. As competições foram transmitidas graças ao Fernsehkanone (canhão da televisão), uma imponente câmara totalmente eletrônica construída pela empresa Telefunken. Perto do estádio Olímpico foi erguida a Funkturm, a torre emissora, junto a um estúdio de mixagem que produzia oito horas diárias de programação para os berlinenses. Como poucos tinham TV na época, foram montadas 25 salas de exibição pela cidade, em grandes teatros, para que o público acompanhasse os Jogos. 

Olimpíada de Londres - 1948

A holandesa Fanny Blankers-Koen ganhou o apelido de "dona de casa voadora" ao ganhar quatro ouros (100m, 200 m, 80 m com barreiras e no revezamento 4x100 m). Com 30 anos, calou os críticos que pediram para ela voltar para cuidar seus dois filhos pequenos. Só não subiu mais ao pódio (era recordista mundial do salto em altura e em distância) porque a regra à época limitava as mulheres a apenas três provas individuais. Aos 18 anos, em sua primeira Olimpíada, o rendimento não foi tão brilhante: quinto lugar no 4x100m e sexto no salto em altura.

Comentários

  1. Muito legal esposa! Parabéns!! Já estou curioso para ver os próximos Posts!!
    Beijos!
    Almir

    ResponderExcluir
  2. Como assim a mulher só podia subir em 3 pódios mesmo tendo vencido 4 provas? O preconceito com as mulheres nunca mudou. É verdade que já é não é mais tão rígido como era naqueles tempos em que o papel da mulher era cuidar da casa, do marido e dos filhos como sugeriram os críticos. Mas ainda temos que batalhar muito para ficarmos em pé de igualdade com os homens!
    Parabéns pelo post, Dani.

    Camila.

    ResponderExcluir
  3. Eu não concordo que ainda haja preconceito com a mulher no esporte. Hoje as atletas profissionais estão num nível muito alto assim como os homens. O que não dá ainda é colocar homens e mulheres para disputar a mesma prova sem separação de sexo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Claro que ainda não é científico e humanamente possível uma mulher competir de igual para igual com o homem, ainda mais em se tratando de provas que exigem explosão. Mas já houve um caso de uma mulher chegar em primeiro lugar geral em uma maratona realizada na Europa este ano. As mulheres estão conquistando espaços que era apenas dos homens.

      Excluir

Postar um comentário