Minha Primeira Meia Maratona Internacional

Times Square (7a Avenida com Rua 42)
O úlitmo domingo, 17 de março, virou um marco na minha vida de corredora, participei da minha primeira maratona internacional, a New York City Half 2013. Além da vontade de correr uma prova fora de Brasília, eu desejei muito que essa prova fosse num lugar especial, e foi! Consegui correr e completar a Meia maratona de Nova York. Eu já havia falado aqui no blog o tanto que adora aquela cidade, e correr pelas suas ruas foi mais que especial, foi emocionante, foi a realização de um sonho.

Mas não pensem que esse sonho foi fácil de concluir, foi sofrido, afinal não é todo dia que se levanta da cama às 5 horas da manhã com temperatura negativa, no escuro, para correr 21 km! 

A jornada em NY no dia da corrida começou bem cedo mesmo, levantei às 5 horas da manhã, não lembro bem quantos graus estava fazendo mas sei que era abaixo de zero. Eu nunca havia corrido nessas condições, mas vamos lá, sempre tento pensar que correr no frio é mais fácil que correr no calor. Engano meu, se este frio for o frio do inverno novaiorquino. 

Eu e minha super companheira de corridas e amiga Karla Barbosa saímos do hotel às 6 horas para pegar o metrô em direção à rua 72, no lado oeste do Central Park, que era a estação mais próxima da largada. Já fomos trotando de leve pois o frio estava intenso. As ruas ainda estavam vazias. O metrô estava bem tranquilo, apenas alguns corredores também indo em direção da grande prova.  Como chegamos muito cedo no parque e a largada para os amadores era apenas às 8 horas, passamos um tempo congelando até a corrida começar. Nesse meio tempo encontramos outros colegas e amigos do clube de corrida e fomos nos juntando para que o calor humano pudesse nos dar um pouco de conforto.

Às 7:30 foi dada a largada para os corredores cadeirantes e os corredores de elite, e aos poucos foram liberando os corredores amadores que estavam separados por baias de acordo com o tempo informado na inscrição. Eu e Karla largamos às 8 horas.

A primeira metade da prova foi toda dentro do Central Park, 10 km de subidas, descidas e retas, e como já haviam me falado, duas subidas bem íngremes. Ao sair do parque, tomamos a 7a avenida em direção a Times Square, e nesse momento eu achei que ia congelar, pois a avenida faz um corredor de vento gelado que não dá nem pra explicar. Mas logo depois chegamos a Times Square, e ao final dela, eu encontrei o Almir, e Karla encontrou sua mãe, a querida Dona Francisca, que estavam nos esperando para tirar fotos da nossa passagem por ali.

Ao longo de todo o percurso haviam vários pontos de água, isotônicos, banheiros químicos, bandas tocando para animar os corredores e os torcedores. Ah e os torcedores, muitos parentes, amigos, trabalhadores voluntários, treinadores e pessoas que simplesmente saíram de suas casas para dar apoio e torcer pelos guerreiros que estavam ali para encarar as 13.1 milhas. 

Quando terminou a Times Square, viramos a direita para pegar a rua 42 e ir em direção ao Rio Hudson, no lado oeste da ilha de Manhattan, seguindo pela 12a avenida. Nesse momento acho que meu corpo já tinha finalmente aquecido, e por incrível que pareça, na beira do rio foi a parte da corrida onde senti menos frio. Continuamos pela 12a avenida até o Battery Park, que atravessamos por um túnel e este túnel já mostrava os metros finais da prova. 

Meu tempo não foi bom, 2 horas e 44 minutos, mas as adversidades existem, e nessa prova foi o frio intenso, o vento forte, apesar do sol e do lindo céu azul que estava em Nova York naquele domingo. Mas o saldo final foi super positivo pra mim, pois corri na cidade que eu amo, minha segunda meia maratona, feliz por estar ali conseguindo completar mais um objetivo de vida e uma experiência que vai ficar na minha história.

Na chegada, todos os corredores são recebidos pelos voluntários que colocam a medalha no pescoço de cada um de nós, e para quem corre, ter a medalha colocada no pescoço não tem preço. 

Espero logo logo correr outra meia maratona, não em condições climáticas tão baixas. Mas os treinos não vão parar, pois já tenho uma meta de meia maratona para o fim de 2013 e porque não alguma outra pelo caminho!

Chegada no cruzamento da Wall Street com a Water Street

Comentários

  1. Parabéns Esposa! Tenho muito orgulho de você, ate porque acompahei toda a sua "história" para chegar e participar desta corrida! Treinos, apreensão, nervosismo e muito, mas muito frio mesmo! Te amo muito! Parabéns!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, meu lindo! Grande parte desse meu histórico eu devo a você. Também tem amo muito!

      Excluir
  2. Parabéns pela conquista, corredora! Que venham muitas corridas internacionais para aumentar seu currículo de atleta.
    Abraço,
    Marcos.

    ResponderExcluir
  3. Parabéns, tenho certeza que foi uma experiência única!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Foi única sim, Christian, todos devem fazer uma corrida internacional para vivenciar a qualidade de um evento deste porte!

      Excluir
  4. Correr com vc é sempre um prazer, amiga! Obrigada pelo companheirismo, pela amizade, por tudo... Seu apoio, em todas as áreas da minha vida, é mto importante pra mim! A viagem foi maravilhosa, adorei tudo, e minha mãe se apaixonou pelo casal!!! Vcs foram uns amores com a minha amada mãezinha, deu pra perceber como ela é incrível ne?! Bjssss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ô gata, eu é que tenho que agradecer por ter você como minha companheira de corrida, desde que começamos a treinar juntas, tô mais focada na corrida e mas condicionada para conversar enquanto corro (kkkkk)!
      Beijo.

      Excluir
  5. Nossa, Dani, deve ser emocionante mesmo correr num lugar como esse!
    Parabéns pela corrida, por ter completado, por ter superado esse frio todo!
    Abraços,
    Greice.

    ResponderExcluir
  6. ÊÊÊÊÊÊ, parabéns!

    ResponderExcluir
  7. Escolheu bem hein? Nova Iorque, capital do mundo.
    Parabéns pela conquista, pela realização Dani.
    Deus te abençoe e que cada vez mais novos desafios virem pó sob os seus pés!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Deus te ouça, Luiz, que venham nos desafios!

      Excluir
  8. Dani, Parabéns, muito show essa meia e o relato. Para quem, como eu, acompanha sempre o blog (que virou uma referência), sabe do seu esforço e treino para chegar até aqui, e NY é como você disse, incrível.
    Que venham as próximas provas e desafios.
    Bjo.

    ResponderExcluir
  9. ´´E isso aí, Dani! Superamos as dificuldades e vencemos. E correr naquele frio não é nada fácil, portanto não fique preocupada com seu tempo...
    O importante foi o percurso até lá!
    Beijoca
    Dri*

    ResponderExcluir
  10. Que linda prova Daniela!!
    Escolha para estréia nos k21 pra lá de luxuosa hem??
    Parabéns pela conquista e a bolha no pé foi apenas um fato inusitado diate de tantas coisas boas, né??
    Abraço, Karinne.

    ResponderExcluir
  11. Dani irei fazer a meia de NYC 2016 e busco no google qql informação da prova. Não preciso falar a minha ansiedade e nervoso né? Meu grande medo é ultrapassar as 3hs. Sou carioca e nem me imagino correr nesse frio. Já estive em NYC duas vezes e já tenho noção do percurso, qro conversar mais com vc. Me ajuda???
    andreianapoleao@ig.com.br

    Espero que vc leia minha mensagem!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Claro, Andreia! Vou te mandar um e-mail para trocarmos mensagens sobre a NYC Half! Mas já te adianto que vais adorar a corrida!

      Excluir
    2. Andreia, mandei uma mensagem para você sobre o assunto. Abs

      Excluir
  12. Dani,
    Help me, please. Tenho intenção de correr a meia esse ano ainda e preciso de todas as dicas que forem possíveis, especialmente em relação a roupa e ao clima. Estou apavorada com a temperatura. Por favor, me ajude.
    atvale20@hotmail.com

    ResponderExcluir

Postar um comentário