Eu fui: Meia de Floripa - 1ª Parte

Alô, alô leitores do blog, nesse domingo aconteceu a Meia Maratona de Floripa, e eu estive lá para correr por aquelas bandas pela primeira vez, na minha segunda passagem por Florianópolis. Mas já fazia bastante tempo que eu havia ido a Santa Catarina, e foi muito bom voltar! 

Eu dividi o post sobre o fim de semana da meia maratona em dois para no primeiro contar um pouco da parte turística da viagem, e no segundo post contar sobre a corrida propriamente dita.

Florianópolis foi nomeada pela revista Veja "o melhor lugar para se viver no Brasil", e por isso nada mais natural do que os turistas quererem conhecê-la. Floripa é um destino cada vez mais procurado devido às suas lindas praias (porém de águas geladas), ótimas para a prática do surf, os frutos do mar deliciosos e a combinação de cidade grande moderna com fortificações coloniais do século XVI com mercados e parques tranquilos.

As temperaturas na região sul em junho já começaram a cair, a previsão para o final de semana era de termômetros em baixa entre 6º e 16º C. Adoro correr quando está frio, acho que rendo muito mais, já corri em temperaturas até mais baixas do que estava em Floripa, só acho ruim fazer mala de frio, a gente sempre tem que levar mais roupa do que gostaria e os casacos ocupam um espaço danado na mala.

Enfim, depois de tantos meses de treinos e a expectativa por essa meia maratona, cheguei em Floripa no sábado na hora do almoço, acompanhada de meu marido e um casal de amigos. Fomos logo buscar os kits da corrida e poder aproveitar (com moderação) o resto do dia.

A primeira parada turística foi o Mercado Público de Florianópolis. Ele fica bem no centro da cidade, é cheio de bares, restaurantes, peixarias, dentre outras lojas. Este mês está acontecendo o Festival da Tainha, então todos os restaurantes do Mercado devem servir três pratos diferentes com tainha. Provamos dois, uma tainha grelhada e uma tainha frita, ambas no Bar do Eloi, os meninos que não iam correr ainda provaram algumas cervejas artesanais. Eu e minha amiga ficamos apenas na água.

Mercado Público de Florianópolis
O Mercado Público foi inaugurado em Janeiro de 1851. Em 2005 ele passou por um grande incêndio, e em 2013 ele foi reinaugurado. Como a parte interna onde fica a maior parte das mesas utilizadas pelos clientes dos restaurantes e bares é aberta, o mercado ganhou recentemente uma cobertura retrátil para ser utilizada em dias de chuva.

Depois de comer as deliciosas tainhas fomos fazer check in no hotel que ficamos hospedados, no centro da cidade mesmo, o Faial Prime Suites. Optamos por ficar no centro por ser mais perto da largada e chegada da corrida, e porque nessa época do ano faz muito frio então não valeria a pena se hospedar em alguma praia.

Ainda no sábado a noite, tivemos o tradicional jantar de massas pré meia maratona, que fazemos sempre nas noites anteriores a essas corridas longas, no Artusi Ristorante, especializado em cozinha italiana. O carro chefe da casa é o gnocchi, ou nhoque, como preferir. Eu comi um nhoque de mandioquinha com ragu de pato que estava divino.

No dia seguinte, após a meia maratona (que será contada no segundo post dessa semana) fomos conhecer Santo Antônio de Lisboa que é um dos 10 distritos que compõem Florianópolis, com uma extensão de 22,45 km2 e tendo atualmente uma população residente e flutuante em torno de 8 mil pessoas. O patrimônio existente são os casarios antigos, a Igreja de Nossa Senhora das Necessidades, o Engenho Andrade, o antigo Posto da Alfândega, a 1a rua calçada do estado de Santa Cataria e a fachada da casa onde se hospedou Dom Pedro II na Praça Roldão Pires.

Igreja de Nossa Senhora das Necessidades 



Em Santo Antônio de Lisboa, almoçamos um ótimo bacalhau acompanhado de um vinho da serra catarinense no restaurante Villa do Porto especializado em culinária portuguesa e espanhola. Este restaurante é situado em um imóvel histórico construído em 1840 que hospedou o então imperador do Brasil Dom Pedro II.   


Comentários

  1. Lindas fotos, Dani!
    Eu já fui a Florianópolis, que cidade linda, né?
    Bjs,
    Ana Paula.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Floripa é realmente linda, Ana Paula!
      Dá vontade de voltar pra Brasília não.
      Beijo,
      Dani.

      Excluir
  2. Bom dia, Dani!
    Florianópolis é uma cidade muito bonita mesmo. Não conheço Santo Antônio de Lisboa, bom saber desse local pra eu conhecer a próxima vez que for a Santa Catarina.
    Fico aguardando o post sobre a corrida.
    Abraço,
    Maria Lúcia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Maria Lúcia,
      vale a pena conhecer esse bairro açoriano, é uma graça!
      Amanhã devo colocar no ar o post sobre a corrida.
      Abraço,
      Daniela.

      Excluir
  3. Nossa, Dani, que maldade esse prato de bacalhau! Babei!
    Bjs,
    Giulia.

    ResponderExcluir
  4. Dani, que bom que gostaram da minha terra. Se um dia vcs voltarem com mais tempo, dêem uma esticadinha até a Serra do Rio do Rastro, pra mim é sem dúvida um dos lugares mais bonitos que já conheci e corri, é onde foi a Up Hill Marathon, da qual tive o prazer e o sofrimento de participar por duas vezes...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Fábio, sua terra é belíssima, é a segunda vez que vou a Santa Catarina. Na próxima oportunidade quero conhecer a serra.
      Valeu pela visita.
      Abraço,
      Dani.

      Excluir
  5. Velho, já fui a cinco estados para correr e nenhum bateu SC. Floripa é um RJ perfeito com belezas mais bem divididas do que a que os cariocas tem concentradas em um eixo muito pequeno.

    Aguardando sua parte 2. A temperatura na prova parece ter apavorado a galera, mas amo o frio... Por mim bastaria uma luva e de resto, já poderia ouvir a buzina da largada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Ivan, se tiver oportunidade de correr em Floripa, não deixe de ir, além de todas as belezas que a cidade tem pra mostrar, a Meia de Floripa foi muito bacana de correr, adorei, e também adoro frio. Hoje a noite publico a 2ª parte do post.
      Abração,
      Dani.

      Excluir
  6. Legal Dani, vejo que aproveitou muito os dias em Floripa. Quando fui, o Mercado Municipal ainda não tinha a cobertura retrátil. Ainda bem que fizeram...
    Gostei de Santo Antonio de Lisboa. Não conhecia. Listada para visitar em uma próxima vez que for para Floripa ha ha ha ha...
    Agora vou conferir o post sobre a meia!
    Um super beijo e bons treinos!

    Carolina
    Blog Viajar correndo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Carol!
      Floripa é uma cidade linda, já havia mais de 10 ano que eu tinha ido lá, mas dessa vez foi especial.
      E quando tiver a oportunidade de voltar, não deixe de conhecer Santo Antônio de Lisboa, é uma graça!
      Beijo grande.

      Excluir
  7. Dani, acredito que tenha sido uma viagem bem diferente esta sua segunda vinda a Floripa. A cidade mudou muito e cada vez a gente curte de uma maneira diferente. Suas escolhas foram ótimas. O Mercado e Santo Antônio de Lisboa traduzem bem o clima da cidade e o povo ilhéu. Espero que tenha gostado. Outro cantinho especial assim é o Pantano do Sul, o Ribeirão da Ilha, Barra da lagoa...
    Adorei a dica do restaurante. Não conhecia. ;)
    beijosss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Foi diferente mesmo, Helena, mas Floripa é linda em todas as épocas do ano! E como estava frio, acabei fazendo passeios que não faria se estivesse no verão. Mas quero voltar pra conhecer mais lugares e inclusive conhecer a serra catarinense.
      Beijo,
      Dani.

      Excluir

Postar um comentário